sexta-feira, 13 de abril de 2012

So you're with me or not?


Não quero soar como aqueles seus ex-namorados controladores ou sentimentais, mas dá pra ver no brio pálido dos teus olhos de sangue, que o mundo anda arrancando suas cutículas. Conte mais a respeito, te espero às sete, no último lamento do sol, antes de afogar-se no púrpura-laranja-escarlate do rio. Naquele mesmo banco latino-americano, no mesmo parque, encarando aquela estátua histórica que a gente ainda não descobriu quem está lá, montado no cavalo, para sempre. Traga cigarros, um sorriso improvisado e um pano pra grama que caiba nada mais que nós dois.

Hein. Não é bom saber que você tem um amigo que te ama mais que um amigo? Olha, eu sei que você andou cruzando esquinas a fim de uma pessoa que não era eu, só que não ligo. Essa coisa de orgulho e dignidade nunca foram comigo mesmo. E ainda que eles tenham levado pra longe tudo que você parecia ter de bom, eu não me importo de ficar com o amargo-azedo que restou. É mais do que tudo que já me pertenceu em quatro encarnações. Let me take you down e tirar seu vestido sujo de festa, deslizando alças e dois dedos em alguma rua púdica do teu corpo branco. Isso, claro, se você não apagar até lá.

Calma. Respira. Quieta e sem choro. A gente volta na trilha dos seus projetos que se perderam. E se nem com minha ajuda você conseguir achá-los, te deixo morar num dos meus – de todo jeito, minhas esperanças são como uma casa de espelhos que você não pode mover o pescoço sem se ver. Sabe, nunca me incomodou ouvir as coisas idiotas que você tem a dizer, mas se eu puder calar sua excentricidade falsa, se você for capaz de não fingir-se de oca por uns cinco minutos, será sua hora de me ouvir. Não interessa se o seu passado nunca foi de escutar ninguém. Olha pra mim. Às vezes não parece, mas você é adorável, garota. E se o mundo não tem dado a mínima pra você, o azar é do mundo, e não seu. E a sorte é nossa.

Você é. Uma letra que eu rabisquei na vontade da tua pele e agora não consigo cantar e executar a melodia na gaita-de-boca ao mesmo tempo, porque você é assim, mesmo em frangalhos ainda é tudo e demais pra mim. Ficar comigo na teoria pode ser mais doce que na prática, mas você vai se acostumar. Eu vou me acostumar. A gente se acostuma com tudo. Você vai ver. Esta noite estou a fim de dizer eu te amo. O que você acha disso? Então, você está comigo ou não? Negue e eu dou o fora, porque eu não aguento mais te ver desse jeito.

                                          Gabito Nunes

Nenhum comentário:

Postar um comentário