segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Some thousands of things!


Certas milhares de coisas me lembram você. E hoje foi o dia que resolvi não me lembrar de você, mas quando eu olhei pra outras pessoas, o único pensamento foi : nenhuma delas é você. Eu fico querendo não ter você dentro de mim, mas quando me olho no espelho é você quem eu vejo. Fico querendo não escutar algumas músicas, mas não adianta..porque a maioria me lembra você. Certas gírias me lembram você. Certos olhares e feições me lembram você.
Certos jeitos de andar e rir me lembram você. Certos lugares , onde vou freqüentemente, me lembram você. Certos vazios me lembram você. Certos silêncios, é o que mais me lembra você. E agora pouco percebi que nada que eu faça, nada que eu mude: músicas que parei de ouvir, gírias que parei de falar, lugares que parei de ir,jeitos de andar, rir e olhar que parei de apreciar. Nada disso irá mudar alguma coisa..porque a diferença é em mim e não no mundo ou em você. O problema é comigo. Porque a única coisa que eu posso fazer, é tirar você de mim, e dessa vez, pra sempre.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Blindness

Acho que me tornei uma pessoa fria -até meu irmão estava falando isso outro dia- mas acho mais ainda que me tornaram uma pessoa fria..as diversas mentiras, que depois eu descobri a verdade, me abalaram tanto ao ver que ponto o ser humano chegou, que fiquei fria, sem ficar abalada com qualquer coisa -como sempre fui- Eu queria tanto retribuir tudo o que você fazia! Eu queria voltar no tempo e acabar com sua vida enquanto eu podia mas agora é tarde demais e a vítima já é outra, tenho pena dela, por cair tão fundo nas suas armadilhas de “amor” e lá no final ela vai perceber a mentira que vivia e não vai ter ninguém que possa ajuda - lá. Eu tenho esse mal também..ter pena das pessoas, elas não fazem nada pra eu ter pena, mas eu tenho, incrível isso.
Voltando ao assunto principal, acho que nunca mais vou sofrer, acho que nada mais vai se igualar, acho que a mentira é uma bactéria e eu já tomei o antivírus, sou imune a mentiras idiotas. Coisas que todos percebem, eu não percebia, agora eu percebo.
Eu era cega e não sabia.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

I still believe

Um dos meus maiores problemas é acreditar demais nas pessoas. Esse problema é rescente, eu nunca tive esse problema -na verdade eu nunca acreditei  nas pessoas- Mas de uns anos pra cá, eu tenho confiado muito nas pessoas, e isso não é bom.
Na maioria das vezes eu fico me perguntando por que as pessoas mentem, elas tem o prazer de mentir -em vão- Eu, particulamente nunca gostei de mentir, sempre ficava com peso na consciência, e ia correndo contar a verdade. O que essa maioria de pessoas não sabem é que a pessoa se magoa, se sente mal. Eu pergunto: É tão legal assim mentir ?
E eu igenuinamente acredito sempre nas palavras que falam para mim,e sempre também me ferro e fico magoa -puta- Se alguém chegar e olhar nos meus olhos e falar: EU TE AMO, eu vou acreditar, eu sou assim não sei porque, acho que é um defeito de fabricação, não sei..só sei que estou mudando e parando de ligar pro que me dizem, parando de acreditar, estou começando a mandar tudo ir pro espaço! Estou começando a não me importarcom o que falam, tem exessões -é claro- mas eu continuo com a dúvida de acreditar ou  não acreditar!  E eu termino hoje: EU SÓ QUERIA A DROGA DA VERDADE. (risos)

Changes and differences

É incrível como tudo mudou de um ano pra cá,incrível ver a mudança repentina das coisas, ver a mudança de pensamentos, sentimentos e ideologias.
O meu modo de agir me faz ser outra pessoa -totalmente diferente de quando entrei na vida- Mas acho que tem algumas coisas em mim que nunca vão mudar: eu sempre vou ter amor de sobra aqui dentro! Claro é inevitável a mudança aqui dentro de mim, o mundo lá fora é outro também..as pessoas são outras.
A única coisa que não pode me acontecer é ficar infeliz -o que acontece com a maioria das pessoas- comigo isso não vai acontecer, ser feliz é sinônimo de sempre.
Pode existir a mudança mas não a diferença,é.

Secret

Desde criança eu tenho problema,dificuldade em me enturmar, em "fazer amigos",nunca confiei em ninguém, eu sempre tive muitos colegas mas amigos tinha dois ou três. Eu achava um absurdo aguém contar para uma pessoa o que sentia,vivia ou pensava. Eu não gostava da idéia de ter que dividir meus pensamentos..não via motivos para isso, era somente eu e meu diário! Tudo o que eu sentia eu escrevia para somente eu ler,compatilhar comigo mesmo minhas emoções. Hoje em dia não mudou quase nada, só em relação a minha confiança, hoje eu confio mais nas pessas -esse é um problema que depois explico- hoje eu tenho amigos e divido segredos com eles. Mas continuo com a mania de escreverm-por exemplo agora- continuuo compratilhando meus medos, paixõaes,angústias e ressentimentos..enfim,os mais diversos sentimentos, com o papel -que sempre me acompanhou por sinal- acho que escrever me faz sentir a pessoa mais maravilhosa do mundo , eu escrevo por motivos..e eles são milhares, tem o motivo de sempre: desabafar. O motivo de compartilhar com alguém que não vai contestar  nem debater a minha opinião, eu escrevo cartas sem destino, que um dia vão chegar e melhorar a vida de alguém -sei disso- e digo que enquanto houver uma folha de papel e uma lápis , eu viverei em eterna paz!

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

I like the true!

E eu desisto dessa coisa de fazer as pessoas entenderem, de fazer pessoas enxergarem, compreederem que a minha amizade com Gabriel é a coisa mais pura e simples do mundo. A única diferença é que demoramos um tempinho para entender de que Deus nos fez irmãos de alma e coração. E na verdade eu passei a perceber que só Ele precisa entender, e eu tenho certeza de que Ele entende,sabe e aprova a nossa amizade, e então para que ficar me chicoteando pra fazer as pessoas entenderem? Se a Pessoa que precisa saber, sabia antes de nós mesmos ?
O resto que se exploda com seus pensamentos -sem fundamentos pra mim- porque Ele,Gabriel e eu sabemos da importância dos abraços, dos carinhos -os melhores carinhos- dos desabafos contínuos, das conversas de horas, dos conselhos e do amor compartilhado.
"Nós somos um feito de dois" s2

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Memories

Estava eu pensando em nós, toda feliz de ver que não temos mais nada em comum, de ver que não compartilhamos mais nada.Feliz de não lembrar do seu rosto ao me ver,de não lembrar como eu me sentia ao te ver.Feliz de já ter sentido outra vez a mesma coisa..Feliz de você não ser mais nada pra mim. Feliz de não precisar mais de você, de não ser mais viciada no seu cheiro, e de não mais enlouquecer por falta das tuas palavras. Feliz de ter pena de você, por estar sem mim. Feliz de ter só uma vaga lembrança dos nossos momentos juntos! Foi quando aconteceu, e eu não consegui evitar o sofrimento, foi ai que eu fiquei triste, foi quando eu percebi que nós ainda temos uma coisa em comum e nós nunca vamos nos livrar -O NOSSO PASSADO- vamos sempre ter as mesmas lembranças do que não aconteceu, as mesmas memórias do que não foi real, o mesmo passado escuro e enganador, porque nosso ar era o mesmo..nossas vidas eram as mesmas, o sentimento era o mesmo, e hoje o que restou foi o lado sombrio do que a um tempo atrás vivemos juntos.